Marketing pode encabeçar retomada de empresas

Marketing pode encabeçar retomada de empresas

O marketing pode ser o percursor do crescimento no país, afinal, marketing nada mais é que, na essência e como objetivo final, influenciar pessoas à optarem por algo.

A crise política no país, seguida consequentemente pela crise econômica, trouxe ao Brasil um recesso sem precedentes, e quem sofre com isso é sempre a população.

O efeito é cascata… a política em crise gera priorização de assuntos de conflito de interesses entre partidos, ou faxina, como a Lava Jato tem encabeçado honrosamente, com isso, a economia não sendo uma das prioridades, puxado pela instabilidade da confiança no país pela política, gera recesso, alta inflação, etc.

Números instáveis e com perspectiva ainda de piora gera insegurança no empresariado, tanto as empresas em investirem, quanto de ousarem em novos projetos, contratar mão de obra, comprar maior quantidade de insumos, consumir mais, contratar mais fornecedores, etc.

As empresas devem sempre avançar, o que dá oportunidades ao crescimento geral no país, também mundial, pois está tudo interligado. O conservadorismo do empresariado mediante insegurança gera estagnação, rapidamente (quase que instantaneamente) recessão.

A recessão quer dizer parar, estacionar, pausar… e no mundo de hoje não há lugar para estagnação, ou avança e evolui… ou para e consequentemente retrai, recua, involui!

E isso gera desemprego… Consequentemente, com mais pessoas sem dinheiro, menos dinheiro sendo gasto no geral (transporte, alimentação, entretenimento, investimentos em geral, decoração da casa, troca de carro, compra de uma moto, turismo, etc etc etc), enfim, é uma roda, é cíclico… pois assim o restaurante vende menos, e entretenimento vende menos, e assim por diante).

Vendendo menos = menos lucro

Menos lucro = Maior insegurança

Maior insegurança = Menos ousadia

Menos ousadia = Menos vendas

Menos vendas = Menos compras*

Menos vendas = Menos lucro

Menos lucro = Desespero

Desespero = Desemprego, falência, etc.

*(comprando menos o mesmo se inicia com seus fornecedores, que entram nessa “crise” e vão puxando, como efeito dominó, seu fornecedores, que se torna uma bola de neve, gerando alto desemprego, e esse desemprego gera menos consumo, e por isso as empresas vendem menos ainda, e por ai vai, nesse bololô infinito.

Não que seja uma ordem exata, mas só um exemplo de uma coisa vai puxando a outra, e puxa outra, e outra, e ai a recessão ocorre, num âmbito em larga escala.

O que gera tudo isso é chamado de “mão invisível de mercado”, termo economicamente usado, que, apesar de não haver uma coordenação dessas ações, as mesmas simplesmente ocorrem, levando o mercado para altos e baixos mediante à milhões de fatores, como se estivesse uma “mão invisível” realmente influenciando as diretrizes.

IMPORTANTE: O consumidor final sempre vai comprar, sempre vai consumir! Ora menos, ora mais, mas sempre, sempre, sempre estará consumindo, de tudo.

Enfim, e é ai que entra o marketing. Em momentos como esse, uma vez que o mercado diminui, acabando com diminuir as fatias do mercado, e isso gerando menor lucro e de novo entrando no efeito domino exemplificado acima… quem estiver mais preparado prevalece!

O consumidor final sempre vai comprar, sempre! Esteja você à frente dele quando isso for ocorrer, isso te trará grandes chances de prevalecer.

Marketing digital pode ser a transfusão de sangue que sua empresa precisa. Pense nisso!

19 de maio de 2017

»
Ver todas as postagens